Após o atentado terrorista em Barcelona,  na Espanha, o presidente Donald Trump voltou a pedir que os tribunais norte-americanos retirem as obstruções que impedem o pleno vigor do decreto que veta temporariamente a entrada nos Estados Unidos de pessoas provenientes de seis países de maioria muçulmana: Líbia, Sudão, Somália, Síria, Irã e Iêmen.

Julien de Rosa/EPA/Agência Lusa/direitos reservados
Julien de Rosa/EPA/Agência Lusa/direitos reservados

Trump afirmou que os EUA condenam o ataque terrorista e farão “o que for necessário para ajudar. Sejam fortes, nós amamos vocês! ”, escreveu no twitter.

Também pelo twitter, Trump afirmou que o terrorismo radical islâmico deve ser interrompido por qualquer meio. “Os tribunais devem nos devolver nossos direitos de proteção”, afirmou. Ele também acusou os democratas de tornar a segurança difícil para os Estados Unidos. “Eles usam os tribunais e as obstruções associadas em todos os momentos. Isso deve parar!”, escreveu.

Suprema Corte limita

No final de Junho, a Suprema Corte autorizou que o decreto que proíbe a entrada de pessoas desses países de maioria muçulmana entrasse em vigor, porém de maneira limitada.  A interpretação da Corte é de que o decreto não se aplica aos cidadãos com vistos previamente emitidos e, além disso, que o critério para autorização da entrada seria uma “prova de boa-fé”, como, por exemplo, o viajante ter algum parente residente dos EUA ou algum tipo de relação.

A proibição por 90 dias está em vigor “para estrangeiros que não possuem nenhum relacionamento de boa-fé com uma pessoa ou entidade nos Estados Unidos”. Também está vetada desde junho a entrada de refugiados pelo mesmo período.

Da Agência Brasil

4 0

Sem comentários estão habilitados sobre esta notícia ou notícia velha.

Uso de cookies: Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación, y ofrecer contenidos y publicidad de interés. Al continuar con la navegación entendemos que se acepta nuestra política de cookies.X
noticia 128900_trump-volta-pedir-mais-rigor-no-acesso-aos-eua-apos-atentados-na-espanha.html 3 91593 00