Conforme publicamos em HOSTELTUR BRASIL Notícias de Turismo Costa conta com diretor geral de Vendas e Marketing para a América do Sul Dario Rustico estreia o recém-criado cargo da armadora italiana.

Imagem: site Costa Cruzeiros
Imagem: site Costa Cruzeiros


Rustico ficará baseado em São Paulo e tem na região da América do Sul e, especialmente no Brasil, um mercado com vários desafios a serem vencidos. Problemas comuns a diversos segmentos da economia, como alta carga tributária, impasses trabalhistas e infraestrutura deficiente se somam a questões mais específicas, como o salário dos práticos e a necessidade de viabilizar novos destinos para os cruzeiros, como já publicamos em Alto custo de praticagem prejudica competitividade do Brasil no setor de cruzeiros

O executivo afirma que é preciso que todos estejam prontos para  “competir com cruzeiros em outras regiões e fazer o que for preciso para preservar e melhorar a posição da América do Sul no futuro cenário global de cruzeiros”.

Os navios que estiveram na temporada 2015/2016 foram os navios Costa Pacifica e o Costa Fascinosa. Para a temporada 2016/2017, a Costa Cruzeiros segue com dois navios. São eles: Costa neoRiviera e o Costa Mediterranea, conforme publicado em Costa confirma dois navios e anuncia temporada mais longa na América do Sul

Bastante motivado, Rustico afirma ainda que “a melhor maneira de prever o futuro é construí-lo nós mesmos. O tempo é agora, depende apenas de nós. Junto com a equipe da Costa na América do Sul, vamos seguir atuando para o sucesso da região”.

Dario Rustico
Dario Rustico

Em entrevista para o site, o executivo que está na Costa Cruzeiros desde 2002, conta um pouco mais sobre os objetivos da armadora na região.

- Por que este novo cargo foi criado? E por que agora?

A América do Sul é a região operacional mais tradicional da Costa fora da Itália, local matriz da companhia. É a região onde a marca Costa e seus navios têm estado consistentemente presentes por 68 temporadas consecutivas. Na América do Sul, temos uma importante rede de distribuição, uma parceria consolidada com a indústria turística e, claro, com nossos hóspedes mais fiéis. Meu trabalho será baseado em manter a grandeza da Costa na região e, junto com meus colegas, atuar para que a companhia continue estrategicamente bem posicionada e pronta para enfrentar os desafios futuros. Neste novo cenário globalizado, mudança e inovação se tornarão palavras tão importantes quanto tradição, relacionamento e confiabilidade.

- Quais são os principais desafios para que a Costa possa expandir na América do Sul como um todo e no Brasil em particular?

Deve estar claro para todas as partes envolvidas (linhas de cruzeiro, agentes de viagens, portos, autoridades locais) que a globalização está nos forçando a competir com outras regiões de cruzeiros ao redor do mundo. Essas localidades acabaram mudando a engrenagem do setor de cruzeiros nos últimos anos. A China é, provavelmente, o exemplo mais famoso, mas não o único. O crescimento dos cruzeiros marítimos na Austrália tem sido impressionante, tendo em vista os desafios logísticos. Já a Índia vislumbra como a grande região de crescimento para a próxima década. O fato é que o sucesso de uma região não será medido mais localmente e sim internacionalmente por meio de resultados em curto prazo e pela capacidade da região em permanecer atrativa. O Brasil e a América do Sul, de forma geral, precisam estar confiantes no que podem oferecer e o quanto podem alcançar. Todos os ingredientes estão aqui. Agora cabe a nós.

- Qual a importância do público brasileiro para a Costa? Vocês tem números/índices que indique a relevância desse público nos variados roteiros?

Em meu último dia na sede da Costa, fui chamado pela diretoria e além de desejos de boa sorte, o presidente da Costa lembrou-me de um fato importante: “Dario, nossa primeira viagem transportando passageiros foi em 1948 e tinha como destino o Brasil, país onde você estará amanhã..." Penso que esta frase transmite perfeitamente o quão o Brasil e a América do Sul são importantes para a Costa e o quão profundo e enraizado é o nosso relacionamento.  Estamos preparados para preservar essa relação, na qual a Costa tem sido sinônimo de cruzeiros por quase 70 anos.

Aline Costa / São Paulo, Brasil

Noticias do Turismo no Twitter

@alinehosteltur

28 1
1 comentarios.
  • 1José Eduardo de Souza Rodrigues9/03/2016 13:03:35Más comentarios del lector
    Como expandir na região se a informação que temos é a de que a Costa estará com apenas um navio na próxima temporada na região?
    Sinto que falta uma forte aproximação da Costa com o segmento de organizadores de eventos, o que poderia sem duvida aumentar consideravelmente o fluxo de pessoas aos navios como acontece nos Destinos que buscam e realizam eventos. O participante volta, indica para família e para amigos. E tem um gasto diário maior que o turista de lazer. Nossa agência há muitos anos não é mais visitada pela Costa embora já tenhamos fechado navio na região e participado de eventos a bordo. Penso que falta uma visão mais ampla e mais agressiva ara o setor.

Sem comentários estão habilitados sobre esta notícia ou notícia velha.

Uso de cookies: Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar la experiencia de navegación, y ofrecer contenidos y publicidad de interés. Al continuar con la navegación entendemos que se acepta nuestra política de cookies.X
noticia 110530_novo-executivo-da-costa-fala-suas-expectativas-no-recem-criado-cargo.html 3 89743 00